Prêmio Braskem de Teatro anuncia os vencedores de 2019 nesta quarta


Os destaques das artes cênicas baianas serão conhecidos nesta quarta-feira, 15, às 20h, durante a cerimônia de entrega do 26º Prêmio Braskem de Teatro, no palco principal do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. Com o tema ‘Jorge Amado na batida da cena’, o evento dirigido por Luiz Marfuz propõe uma reflexão artística sobre algumas obras do escritor baiano que inspiraram adaptações para o teatro e o cinema.

Cerimônia de premiação presta homenagem ao escritor baiano Jorge Amado (Foto: Acervo | Fundação Casa de Jorge Amado)

Essa será a sétima vez que Marfuz assina a direção artística da celebração. “As cerimônias de premiação têm sido, ao mesmo tempo, um lugar de reconhecimento do trabalho do artista, uma contribuição à nossa memória cultural, mas também um ato de resistência. Dizemos no palco que continuamos perseverando, estamos vivos, vigilantes e atentos às turbulências e às conquistas da sociedade”, garante.

Como novidade para o evento deste ano, o diretor vai apresentar um Jorge Amado atual, fazendo o público se perguntar como seriam os personagens do romancista, se eles vivessem na Bahia de hoje, com seus avanços e recuos. “Queremos um viés de Jorge, atual, dinâmico, imaginativo”, acrescenta Marfuz sobre o evento que reunirá música, dança, teatro e audiovisual.

Os personagens do escritor serão representados pelos atores Frank Menezes, Zeca de Abreu e Amaurih Oliveira, além da atriz e cantora baiana Larissa Luz. O grupo vai conduzir a cerimônia, que ainda terá o coro cênico-musical composto por artistas da cena baiana, como: Anderson Dantas, Clara Paixão, Ela Nascimento, Danilo Cairo, Daniel Farias, Fernanda Silva, Fernando Santana, Josy Varjão, Mariana Borges, Ridson Reis.

Luiz Marfuz assina a direção artística da celebração Foto: Rodrigo Frota | Divulgação)

Homenagens

Os atores Zezé Motta e Hilton Cobra serão os homenageados da noite especial do teatro baiano. Os dois já viveram personagens de Jorge Amado e se destacam pela “contribuição à arte, à cena e à cultura nacionais, em especial na defesa dos valores humanos e sociais dos povos marginalizados”, destaca Marfuz.

 

Comissão julgadora

Os destaques do teatro baiano em 2018 foram eleitos pela comissão julgadora, integrada por: Adelice Souza, diretora teatral, dramaturga e escritora; Fernanda Tourinho, produtora cultural; Fernando Marinho, músico, ator, diretor, artista visual e presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado da Bahia (SATED Bahia); Paulo Henrique Alcântara, dramaturgo, diretor teatral e professor doutor da Escola de Teatro da UFBA; e Zuarte Júnior, artista plástico e cenógrafo.

CONFIRA OS INDICADOS:

ESPETÁCULO ADULTO

§ As Tentações de Padre Cícero

§ Em Família

§ Oxum

§ Por que Hécuba?

§ Teatro La Independência

ESPETÁCULO INFANTOJUVENIL

§ Gramelôs e Garatujas

§ O Barão Nas Árvores

§ O Mundo Das Minhas Palavras

§ Ponta D’areia, Pedaço Do Céu

§ Quem Vai é O Coelho

ESPETÁCULO DO INTERIOR DA BAHIA

§ Encarceradas (Feira de Santana)

§ Enquanto os Dias São Mortos (Paulo Afonso)

§ Mulheres Malês – Nas Margens do Rio (Lauro de Freitas)

§ O Grande Yorick (Ilhéus)

§ O Teatro é de Cordel (Jequié)

TEXTO

§ Gil Vicente Tavares, por As Tentações de Padre Cícero

§ Paulo Atto, por Teatro La Independência

§ Vinicius Bustani, por Criança Viada Ou De Como Me Disseram Que Eu Era Gay

§ Fernando Santana, por Frida Kahlo

§ Wanderley Meira, por O Mundo Das Minhas Palavras

DIREÇÃO

§ Diego Pinheiro, por Quaseilhas

§ Gil Vicente Tavares, por As Tentações de Padre Cícero

§ Leonardo Santolli, por Consertam-se Imóveis

§ Luis Alonso, por Teatro La Independência

§ Marcio Meirelles, por Por que Hécuba?

ATOR

§ Genário Neto, por Memórias do Mar Aberto – Medéia Conta Sua História, Titus – Uma Reverberação da Obra de Shakespeare e Madame Satã

§ João Guisande, por Por Esse Amor e Retratos Imorais

§ Lúcio Tranchesi, por As Tentações de Padre Cícero

§ Marcos Lopes, por O Barão Nas Árvores

§ Rui Manthur, por Enfermaria Nº 6

ATRIZ

§ Chica Carelli, por Por que Hécuba?

§ Evelin Buchegger, por Teatro La Independência

§ Kátia Leal, por As Centenárias e Consertam-se Imóveis

§ Marcia Lima, por Medéia Negra

§ Vivianne Laerte, por Memórias do Mar Aberto – Medéia Conta Sua História

REVELAÇÃO

§ Bárbara Lais, pela Atuação em Jackie – A do Mal ou Nem Tudo é O Que Parece

§ Natalie Souza, pela Atuação em A Rede – Memórias Compartilhadas

§ Sophia Colleti, pela Direção de Enfermaria Nº 6

§ Vagner Jesus, pela Atuação em V de Viado

CATEGORIA ESPECIAL

§ Ubiratan Marques e André Oliveira, pela Direção Musical de Quaseilhas

§ Andrea Rabelo e Joice Aglae, pelo Figurino de Confabulações

§ Luciano Bahia, pelo Conjunto das Direções Musicais do Ano de 2018

§ Thiago Romero, pela Direção de Arte de Oxum

§ Mônica Nascimento, pela Direção de Movimento nos espetáculos O Último Capítulo, O Mundo das Minhas Palavras, Consertam-se Imóveis e Enfermaria Nº 6