Panorama Coisa de Cinema celebra centenário de Ingmar Bergman


O centenário do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007) será comemorado no XIV Panorama Internacional Coisa de Cinema, com a exibição de cinco títulos da sua filmografia. A mostra reúne longas-metragens realizados em diferentes momentos da carreira de Bergman, que estreou como diretor em 1945 e se manteve ativo por quase seis décadas, dirigindo um total de 47 filmes.

‘Morangos Silvestres’ é uma das obras mais premiadas do cineasta (Foto: Reprodução)

Premiado no Festival de Berlim, Morangos Silvestres (1957) é uma das obras mais conhecidas e celebradas do cineasta. A trama acompanha um professor de medicina se deparando com a culpa e o medo da morte durante uma viagem para receber um prêmio pelo seus 50 anos de carreira.

Também lançado em 57, O Sétimo Selo aprofunda os questionamentos sobre vida e finitude, em dúvida sobre a existência de Deus, o cavaleiro vivido por Max Von Sydow desafia a Morte para uma partida de xadrez.

Primeiro filme do diretor com a atriz norueguesa Liv Ullmann, com quem viveu por cinco anos, Persona (1966) mostra uma atriz que perde a fala durante uma apresentação teatral. Seguindo orientações médicas, ela se isola em uma ilha sob os cuidados da enfermeira Alma, o que dá início a uma relação com intimidade crescente, estabelecendo trocas de identidade.

Liv também atua nos dois filmes que completam a mostra, Gritos e Susssuros (1972) e Sonata de Outono (1978), ambos marcados pelas tensões das relações familiares. No primeiro, sua personagem recorda um passado de traições e ressentimentos, enquanto cuida de uma irmã doente. No segundo, o rancor marca a relação de uma pianista famosa com sua filha tímida e deprimida.