Osba apresenta três obras contemporâneas no TCA


A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) traz a Salvador o conhecido maestro Guilherme Mannis, por meio de seu projeto “Futurível”, para apresentar três obras representativas da contemporaneidade. Duas delas são ligadas à Bahia: a peça “Sendas de um Outro Um”, do suiço-baiano Ernst Widmer, e “Tempuê”, do compositor de música contemporânea Paulo Costa Lima. O concerto será realizado nesta quinta-feira, 16, no Teatro Castro Alves, em duas apresentações: às 18h e 20h30. Ingressos a R$ 5 e R$ 10.

Maestro Guilherme Mannis apresenta projeto ‘Futurível’ (Foto: Kristina Gonçalves | Divulgação)

“Sendas de um Outro Um” é um balé de 36 minutos escrito em 1977 pelo compositor e ex-diretor da Escola de Música da UFBA, Ernst Widmer (1927-1990), baseado em um conto da poetisa Alba Liberato. A segunda obra, “Tempuê”, apresentada em sua primeira audição, é uma grande homenagem ao candomblé, utilizando-se da releitura orquestral em transformações contemporâneas de melodias dos caboclos, aliadas a peças populares. Completa o programa a estreia brasileira de “Miragem”, obra do compositor carioca Mario Ferraro, que nas palavras dele, “é uma peça bastante colorida, além de essencialmente expressiva e dramática.”

Sobre o maestro

O maestro Guilherme Mannis é, desde 2006, diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica de Sergipe, onde tem dividido o palco com artistas como Maria João Pires, Michel Legrand, Nelson Freire, Jean Louis Steuerman, André Mehmari, Emmanuele Baldini, Rosana Lamosa, Wagner Tiso, Amaral Vieira, Eduardo Monteiro, Ricardo Castro, entre outros.

Como regente convidado, Mannis tem dirigido importantes grupos no Brasil e exterior, entre eles a Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Amazonas Filarmônica, Sinfônica de Porto Alegre, Sinfônica de Roma, Sinfonia Toronto, World Youth Orchestra, Sinfônica de Rosário (Argentina), Sinfônica do Espírito Santo, Sinfônica da USP, Experimental de Repertório, Sinfônica do Teatro São Pedro, entre outras. Doutorando em música, foi aluno destacado dos maestros Isaac Karabtchevsky e John Neschling. É professor do Departamento de Música da Universidade Federal de Sergipe.

OSBA
Regência: Guilherme Mannis
Onde: Teatro Castro Alves
Quando: 16 de agosto (domingo).
Horário: Serão às 18h e 20h30