Filme baiano é o único do Brasil selecionado no Festival de Málaga


O filme Filho de Boi foi um dos 8 filmes selecionados para o 23º Festival de Málaga, que acontece de 21 a 30 de agosto, na Espanha. O longa dirigido por Haroldo Borges, é o único brasileiro entre os selecionados. Para Paula Gomes, produtora do filme, a participação no festival é muito importante, sobretudo nesse cenário de grandes dificuldades.

Filme foi produzido no município de Curaçá (Haroldo Borges | Divulgação)

“Os festivais são espaços de troca e mais do que nunca é importante saber que não estamos sozinhos. Além disso, quando um filme baiano consegue cruzar fronteiras, além de fortalecer a nossa identidade cultural, ele também abre possibilidades de negócios para toda a produção local”, diz Paula.

Na história, o personagem João tem 13 anos e vive no sertão. O vínculo entre ele e seu pai está partido. No limiar da adolescência, João quer fugir desse lugar, que parece não ter possibilidades para ele se encaixar. Um dia, um pequeno circo chega na cidade e ele estabelece uma amizade com o palhaço Salsicha, que o encoraja a enfrentar seus medos.

O Filho de Boi foi realizado ao longo de seis meses no município de Curaçá, norte da Bahia. Durante o processo de preparação e filmagem, equipe e elenco conviveram proximamente e foram aportando aspectos de sua vida ao projeto. “Embarcamos nessa ficção com o coração contagiado pelo documentário. Nosso elenco foi formado em sua maioria por não-atores, que não leram o roteiro. O trabalho foi desenvolvido através da aproximação entre a vida daquelas pessoas reais e a dos seus personagens”, conta Haroldo Borges.