Djavan celebra a natureza e o amor em show na Concha Acústica


A chuva deu uma trégua e o dia que seria frio, bom para ler um livro, ferveu com os cinco mil fãs que lotaram a Concha Acústica do Teatro Castro Alves. O ‘efeito Djavan’ comoveu até São Pedro, que levou as nuvens para longe e trouxe até a noite deste sábado, 11, o clima perfeito para o primeiro show da turnê ‘Vesúvio’ na capital baiana. O segundo, em edição extra, acontece neste domingo, 12, a partir das 19h.

Djavan apresentou sucessos e canções do último álbum, ‘Vesúvio’ (Foto: Thaís Seixas | Cultura Agora)

A natureza dá o tom da apresentação, e não só quando as canções do cantor alagoano deixam o público à flor da pele. Lançado em novembro do ano passado, Vesúvio traz 12 canções e uma faixa bônus – gravada com Jorge Drexler – que podem refletir o atual contexto político brasileiro, mas também exalam o amor e o poder da natureza.

E é por isso que um momento especial do show é dedicado às flores. Criador de orquídeas há 16 anos, Djavan une esta paixão ao samba e apresenta a música ‘Orquídea’. A canção, como ele mesmo explica, traz na letra os nomes originais das plantas, em latim. O resultado é uma combinação complicada, mas não menos melódica: ‘Lembra aquela Phalaenopsis que você me deu?/ Me deixou com Sophronitis por um beijo seu/ Pleurothallis, Paphiopedilum/ Cores demais, nada comum/ Cyrtopodium, Sarcoglottis…’, diz o refrão.

No palco, o gingado maroto ditava o passo, tanto nas inéditas quanto nos grandes sucessos dos mais de 40 anos de carreira, entre eles Oceano, Flor de Lis, Sina e Eu Te Devoro. E se, no início, a promessa era de um ‘show sensual’, Djavan cumpriu a palavra e embalou os baianos em mais uma passagem por Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *