Dia do Ceramista faz homenagem à Dona Cadu


O Centro de Culturas Populares e Identitárias, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, em comemoração ao Dia do Ceramista, realizou uma homenagem à mestra da cultura popular, Ricardina Pereira da Silva, a Dona Cadu.

Homenagem se estende aos profissionais da arte (Reprodução | Youtube)

 

O selo ‘Dona Cadu – 100 Anos de Cultura Popular’, lançado em 14 de abril, data do seu centenário, estampa a homenagem que, simbolizada pela figura de Dona Cadu, se estende a todos profissionais, homens e mulheres, que se dedicam à arte e o ofício da cerâmica.

Nascida em 14 de abril de 1920, no município de São Félix, na Fazenda Pilar, Recôncavo da Bahia, e há muitos anos moradora do distrito de Coqueiros, no município de Maragojipe, Ricardina Pereira da Silva, 100 anos, popularmente conhecida como Dona Cadu, é a mais antiga ceramista em atividade. Ela dá vida a panelas, pratos e outros utensílios feitos com barro de modo artesanal, diariamente, há 90 anos.