Balé do TCA celebra Novembro Negro com ações especiais


O Balé Teatro Castro Alves (BTCA) celebra o Novembro Negro, mês em que se marca o Dia Nacional da Consciência Negra, com uma série de atividades que enfatizam a dança afrobrasileira. A programação, totalmente gratuita, inclui uma aula pública, a estreia da coreografia “Lugar de Preta: Uma Conversa Performática Autobiográfica”, apresentações de “Pacífico” e uma edição especial do projeto “Roda de Diálogos”.

Lugar de Preta Uma Conversa Performática Autobiográfica Foto: Luis Molina | Divulgação)

A aula pública de Dança Afrobrasileira Contemporânea será no dia 21 de novembro (quarta-feira), das 18h às 20h, ministrada pelo bailarino e pedagogo Agnaldo Fonsêca, em pleno palco da Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA). O aulão é aberto a qualquer pessoa interessada, para que todos possam experimentar conceitos e práticas das danças de expressões negras, que se estabelecem em vários espaços e ambientes populares e inspiram elaborações artísticas como formas culturais de existência.

Nos dias 22 e 23 de novembro (quinta e sexta), às 20h, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) receberá a estreia de “Lugar de Preta: Uma Conversa Performática Autobiográfica”, solo de Luiza Meireles. Num formato em que a dança, a palavra e o vídeo são utilizados como linguagens para conversar com o público, a bailarina revela os caminhos percorridos em sua trajetória de mais de 25 anos de atuação na dança profissional e conta sobre a repercussão da falta de representatividade na sociedade e no universo da dança na vida de uma menina preta que sonhava em ser bailarina.

A estreia é acompanhada da coreografia “Pacífico”, de Paullo Fonseca: um diálogo com a mata, corpo negro cantado. As apresentações terão canto ao vivo, com a participação especial, no primeiro dia, de Gilmar Sampaio, membro do BTCA, cantando músicas de matrizes africanas, e, no segundo dia, da cantora lírica Inaicyra Falcão, com uma performance vocal fruto de suas pesquisas sobre as tradições Yorubá. Filha de Mestre Didi e neta da Ialorixá Mãe Senhora do Ilê Axé Opô Afonjá, Inaicyra pesquisa as artes da cena ligadas a recriações de matrizes africano-brasileiras em uma visão contemporânea. Durante o mês de novembro, inclusive, o MAM-BA estará exibindo a exposição “Mestre Didi – Ancestralidade e Resistência”.

“Pacífico” também passará pelo Circuito Afro-Brasileiro do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (IPAC), no dia 19, às 16h, no Centro de Cultura de Jequié, e no dia 23, às 17h, na Praça das Artes, no Pelourinho.

Para fechar, no dia 28 de novembro, às 18h, mais uma edição do “Roda de Diálogos – O Bailarino em Pauta” se realiza na Sala de Ensaio, no Piso C – Ala A do TCA. Idealizado e coordenado pelo bailarino Agnaldo Fonsêca, integrante do Núcleo de Pesquisa do BTCA, o projeto é uma iniciativa voltada para a valorização e dinamização das atividades da companhia. Desta vez, Paullo Fonseca faz um bate-papo performático em torno do seu solo “Atlântico”.

Confira a programação:

“Pacífico” no Circuito Afrobrasileiro do IPAC
De Paullo Fonseca
19/11, 16h, no Centro de Cultura de Jequié
23/11, 17h, na Praça das Artes (Pelourinho)

Aula pública de Dança Afrobrasileira Contemporânea
Com Agnaldo Fonsêca
21/11 (qua), 18h às 20h, na Concha Acústica do TCA

“Lugar de Preta: Uma Conversa Performática Autobiográfica”
De Luiza Meireles
“Pacífico”
De Paullo Fonseca
22/11, 20h, com participação de Gilmar Sampaio
23/11, 20h, com participação de Inaicyra Falcão
No Museu de Arte Moderna da Bahia

Roda de Diálogos – O Bailarino em Pauta
Com Paullo Fonseca
Coordenação de Agnaldo Fonsêca
28/11, 18h às 19h30, na Sala do BTCA no TCA