Baile da Primavera anima o início da estação das flores em Salvador


Por João Guerra

Nesta segunda-feira, 23, o inverno dá lugar para a estação das flores, mas quem esteve ontem no “Baile da Primavera”, que aconteceu na Área Verde do Othon, pode sentir um pouco da diversidade e do calor do verão soteropolitano. Melim, Felupz e Jau foram os responsáveis por fazer a temperatura subir para um público de todas as idades.

O trio de irmãos Melim e sua mistura “good vibe” de reggae, pop e MPB foi quem abriu o baile, animando o fim de tarde e início de noite do público que lotava o local. Eles tocaram sucessos dos dois discos já lançados pelo grupo até o momento e sentiram o público cantar em uníssono os versos de “Meu Abrigo”, “Hipnotizou” e “Confusão”, as principais músicas da banda.

Com o fim da apresentação de Melim, o público não desanimou. O segundo show da noite apostou na mistura entre ritmos africanos e pop para fazer a plateia se mexer. Felupz subiu ao palco com seu grupo de dançarinas e dançarinos para apresentar as suas músicas rebolantes para os presentes. Os espectadores que não dançavam junto com as canções do cantor, assistiam surpresos ao show.

É o caso do técnico em fibra ótica Márcio Rodolfo. “Vim mais por causa da minha esposa e do meu filho, que gostam das músicas de Melim. Eu gosto mesmo é de Jau, de quem sou muito fã e faz um tempo que não vou a um show dele, mas me surpreendi tanto com o primeiro show quanto o segundo”.

Já pintou verão

Márcio não precisou esperar muito. Logo Fepluz deu lugar a todo carisma e baianidade de Jau. O cantor e compositor apostou na nostalgia e escolheu músicas de sua autoria já bem conhecidas pelo público além de passear por diversos ritmos da música brasileira e internacional. No repertório de Jau teve Djavan, Tim Maia, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Zeca Baleiro, Gerônimo, Bob Marley, músicas dos blocos afros, como AraKetu, Muzenza, Ilê e Olodum… Um pouco de tudo.

Quando o público pensou que o músico ia se despedir, Jau nem deu muito tempo para a famosa pedida do “mais um”. Ele voltou logo ao palco e disse: “Quem deveria pedir pra tocar mais um sou eu, que sou privilegiado por ter vocês aqui comigo. Por mim eu só paro amanhã”. Ele começou então a homenagear sucessos do carnaval baiano, como “Prefixo de Verão”, e finalizou a noite com “Stand By Me”, para o público suado e sorridente que se despedia do inverno e dava as boas-vindas ao calor de Salvador.